Sobe para 10 o número de regiões de SC com risco gravíssimo para coronavírus

Entre elas está a Amarp, que permanece no nível gravíssimo há várias semanas

O mapa de risco para coronavírus em Santa Catarina voltou a apresentar piora no quadro, conforme atualização divulgada no sábado (6) pelo governo estadual. O número de regiões em risco gravíssimo, o alerta máximo para a doença, subiu de oito para 10 em relação ao mapa da semana passada. Entre elas está a AMARP, que permanece no nível gravíssimo há várias semanas. Outras seis regiões estão com risco grave.

Apresentaram piora na classificação as regiões da Grande Florianópolis, Serra Catarinense e Xanxerê, que retornaram ao nível gravíssimo (vermelho), e a região do Extremo Sul, que se encontrava em risco alto (amarelo) e passou para grave (laranja) nesta semana.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), no índice de monitoramento, que leva em conta o acompanhamento dos casos, apenas as regiões do Alto Vale do Itajaí, Carbonífera, Extremo Sul e Laguna estão em estado grave, todas as outras encontram-se no patamar gravíssimo.

Esta é a primeira vez que o mapa de risco do governo é divulgado em um sábado. A mudança ocorreu, segundo a SES, porque os dados passaram a ser coletados às sextas-feiras. As alterações e as medidas sanitárias passarão a ser aplicadas na segunda-feira subsequente à divulgação.

De acordo com a SES, o objetivo da alteração é proporcionar a atividades e municípios maior prazo para adequações e restrições sanitárias, diante de eventuais mudanças de classificação, facilitar a organização dos órgãos fiscalizatórios.

Com a manutenção na classificação de risco da região da AMARP, nesta sexta-feira (12), a partir das 14 horas haverá uma reunião com os prefeitos, que devem discutir a posição na Matriz de Risco do Governo do Estado, bem como quais serão as próximas ações a serem colocadas em prática nos municípios, bem como possíveis mudanças e flexibilizações da última deliberação da entidade.

 

Fonte: NSC | RBV Rádios
Foto: Divulgação