SC será o primeiro estado do Sul a implantar biometria neonatal em alta definição

Com isso, aumenta as chances de localizar a criança em caso de troca de bebês e de sequestro

A biometria neonatal está ganhando mercado no Brasil e Santa Catarina já é o quarto estado do país, e o primeiro do Sul, a adotar a tecnologia que foi lançada em agosto deste ano. A solução permite a identificação biométrica ainda na sala de parto e foi desenvolvida pela empresa brasileira Natosafe. No estado, a iniciativa será feita por uma parceria entre a empresa e o Instituto Geral de Perícias (IGP).

A plataforma faz captura, análise e exportação de digitais em alta definição desde o minuto zero de vida de uma criança.

As informações coletadas são enviadas para as autoridades públicas. Com isso, aumenta as chances de localizar a criança em caso de troca de bebês e de sequestro. O scanner utilizado pela plataforma foi certificado pelo norte-americano FBI (Federal Bureau of Investigation), a maior agência policial do mundo.

A digital em alta definição atende os requisitos de compatibilidade, rastreabilidade, unicidade e segurança da informação, capturando os dados automaticamente através de algoritmos inteligentes. A tecnologia foi desenvolvida para ser usada por maternidades, hospitais, postos de vacinação, clínicas médicas, centros e institutos de identificação, cartórios de registro civil e até no controle de fronteiras.

O número de carteiras de identidade emitido por ano pelo IGP catarinense, para crianças de até cinco anos de idade, corresponde a 10% da emissão total, o que soma entre 50 a 60 mil RGs por ano. Em 2020, com a pandemia, até o momento foram emitidos 25 mil documentos para este público.

 

Fonte: Assessoria Imprensa Governo SC
Foto: Divulgação / IGP