Preço da gasolina acumula queda de 48% neste ano nas refinarias, mas redução não chega às bombas

Cálculo considera último corte de 8% anunciado pela Petrobras, que começa a valer a partir desta quarta-feira (15)

Petrobras anunciou que vai reduzir mais uma vez o preço dos combustíveis em suas refinarias a partir desta quarta-feira (15). De acordo com a estatal, a gasolina terá um corte de 8% e o diesel, de 6%. Com isso, a queda acumulada da gasolina neste ano será de 48% e a do diesel, de 35,4%.

A redução reflete a forte queda dos preços do petróleo no mercado internacional provocada pela pandemia de coronavírus, mas não tem chegado às bombas. Isso se deve a um conjunto de fatores que vão desde estoques elevados nos postos (comprados pelos revendedores a preços mais altos), devido ao menor consumo dos combustíveis, até a composição do preço final.

Segundo especialistas, o preço da refinaria representa 29,9% do preço total da gasolina. A carga de impostos chega a cerca de 45%. Além disso, o custo com a adição do etanol anidro representa 13,5% do preço total do combustível.

Com o corte anunciado hoje pela Petrobras, o litro da gasolina custará menos R$ 0,086 nas refinarias. Já o diesel terá uma redução de R$ 0,096 por litro. Com as novas reduções, o preço da gasolina nas refinarias tem uma queda acumulada de 48,2% no ano, enquanto que a redução acumulada do diesel é de 35,4%.

O diesel marítimo terá redução de 6,2%, e a queda do combustível para as térmicas será de 6,1%, informou a estatal. A nova redução nos preços nas refinarias tem o mesmo pano de fundo dos outros cortes anunciados neste ano: a queda do preço do petróleo no mercado internacional.

As onze reduções feitas pela Petrobras este ano nos preços  da gasolina e as seis no do diesel começam a chegar de forma lenta aos consumidores.

O preço de venda nos postos do litro da gasolina na semana passada foi da ordem de R$ 4,149, representando uma queda de 9,39% em comparação aos R$ 4,579 cobrados no mês de janeiro último, de acordo com o levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo (ANP).

Já os preços do diesel nos postos de revenda na semana passada foram, em média, de R$ 3,338 por litro, 11,87% abaixo dos  R$ 3,788 cobrados em janeiro.

A perspectiva de a economia mundial sofrer uma forte retração também deixou o mercado bem pessimista. O FMI prevê para este ano a maior retração desde a Grande Depressão.

 

Fonte: O Globo
Foto: Imagem ilustrativa | Google