Polícia Civil realiza 2ª fase da operação mercado paralelo

Foram cumpridos mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão

Na manhã de hoje (26), a Delegacia de Policia Civil da Comarca de Tangará, por meio da SIC (Setor de Investigações e Capturas) e com apoio de policiais da DIC, DPCO e DPCAMI de Caçador e da DIC e DPCO de Videira, deflagrou a 2ª FASE DA OPERAÇÃO MERCADO PARALELO, dando cumprimento a três mandados de prisão preventiva e a sete mandados de busca e apreensão de pessoas investigadas pelo crime de furto qualificado, receptação qualificado e associação criminosa, ocorrido em cidades do meio-oeste catarinense.

Segundo apurado, os autores vinham cometendo furtos à residência, por meio de arrombamento e em concurso de pessoas, além de, posteriormente, encaminhar os objetos a um terceiro que vinha realizando a comercialização dos bens. As atividades eram coordenadas por um dos autores que organizava a equipe que realizaria os furtos. O pagamento pelos bens subtraídos normalmente eram pagos antecipadamente aos indivíduos, os quais repassavam a um suspeito para distribuição.

A 1ª fase da operação se deu cerca de 30 dias atrás, quando um suspeito teria sido preso preventivamente pela equipe de investigação, além de ter sofrido apreensão do veículo utilizado no crime. A partir daí, novos elementos foram colhidos e diligências de investigação foram realizadas, no sentido de buscar identificação da autoria dos integrantes da associação criminosa.

De acordo com o Delegado Eduardo Defaveri, havia informações de que os indivíduos estivessem praticando furtos em diversas cidades, inclusive no Estado do Paraná.

Os investigados prestaram interrogatório na Delegacia de Polícia da Comarca de Caçador, situação na qual um dos indivíduos confirmou parte dos crimes. Todos os autores já possuem passagem por crimes de furto e roubo.

Neste momento, os investigados estão presos no Presídio de Caçador e estarão à disposição da justiça para eventual colheita de interrogatório.

Ressaltamos a importância de apresentar informações sobre a autoria de crimes, seja por meio do boletim de ocorrência ou por denúncia anônima.

 

Fonte: Delegacia de Polícia da Comarca de Tangará
Foto: Polícia Civil