Número de casos de gripe em SC em 2019 supera total de 2018

Estado teve 470 pacientes com a doença este ano. Em 2018, foram 461 nos 12 meses

O número de pacientes que tiveram gripe A ou B em 2019 ultrapassou o total dos 12 meses de 2018. Este ano, 470 pessoas contraíram a doença no estado. Em 2018, foram 461 de janeiro a dezembro. Os dados são do boletim da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC) divulgado nesta segunda-feira (07).

O estado também registrou três novas mortes em uma semana, nos municípios de São José e Águas Mornas, na Grande Florianópolis, e Camboriú, no Litoral Norte.

Mortes por gripe A e B em SC em 2019
Gripe A H1N1: 51
Gripe A H3N2: 5
Gripe A por contato com pessoa doente: 1
Gripe B: 1Gripe com subtipo em investigação: 4

Desse total, 51 pessoas tinham algum fator de risco, como mais de 60 anos, doença crônica, obesidade.

Casos de gripe A e B em 2019 em SC
Gripe A H1N1: 361
Gripe A H3N2: 54
Gripe A com subtipo em investigação: 19
Gripe B: 35
Gripe A por contato com pessoa doente: 1

Desse total, 269 apresentavam algum fator de risco. A Dive-SC informou que não foram enviadas novas vacinas contra a gripe após o término da campanha de vacinação, em 14 de junho. O órgão recomenda que as pessoas sigam as orientações de prevenção da doença.

 

 

Prevenção

Para reduzir os riscos de contrair gripe, a Dive-SC recomenda:

  • lavar as mãos com frequência, principalmente antes de comer
  • usar lenço descartável ao tossir, espirrar ou assoar o nariz
  • se não tiver lenço, cobrir a boca e o nariz com o antebraço quando espirrar ou tossir
  • evitar tocar olhos, nariz e boca
  • não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas
  • beber bastante água
  • evitar aglomerações
  • manter ambientes bem ventilados
  • evitar contato próximo com pessoas que apresentem sintomas da gripe
  • evitar beijar bebês, já que eles não têm imunidade completa

 

 

Sintomas

A Dive-SC recomenda que a população procure o serviço de saúde aos primeiros sintomas da gripe:

  • febre alta
  • dor muscular
  • dor de garganta
  • dor de cabeça
  • coriza
  • tosse seca

 

Segundo a gerente de imunização da Dive-SC, Lia Quaresma Coimbra, a febre é o sintoma mais importante e dura em torno de três dias. Caso o tratamento for iniciado logo, podem ser reduzidas a duração dos sintomas e, principalmente, a ocorrência de complicações, afirma a Diretoria.

Fonte: G1
Foto: Imagem ilustrativa | Google
Comentários
Carregando...