Matriz de Risco mantém uma região em situação grave e 15 em risco gravíssimo

Todas as regiões do Estado foram avaliadas com risco máximo no quesito capacidade de atenção, o que avalia a taxa de ocupação de UTIs

O Governo de Santa Catarina, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), divulgou neste sábado, (29), a Matriz de Risco Potencial. A região da Grande Florianópolis se manteve no patamar Grave (cor Laranja) e outras 15 na situação Gravíssima (cor vermelha) para a transmissão da Covid-19.

Todas as regiões do Estado foram avaliadas com risco máximo (nota 4), ou seja, em nível gravíssimo no quesito capacidade de atenção, o que avalia a taxa de ocupação de UTIs.

Na semana passada, as regiões do Alto Uruguai, Meio Oeste e Serra foram avaliadas com risco máximo em todos os quesitos.

Nesta semana, além da manutenção da Serra Catarinense, o Planalto Norte também recebeu a pior avaliação em todos os índices pela matriz: evento sentinela (elevação do número de óbitos); transmissibilidade (variação do número de casos); monitoramento (número de exames RT-PCR para Covid-19 processados pelo Lacen) e capacidade de atenção (ocupação dos leitos de UTI).

O que está valendo em Santa Catarina?

Até o dia 31 de maio segue em vigor em Santa Catarina as regras definidas no decreto publicado na última segunda-feira (17) pelo Governo do Estado. Entre as alterações, está no funcionamento do comércio que, agora, pode abrir a partir das 5h.