Ex-prefeito de Tangará, Euclides Cruz, é condenado na Operação Patrola

Fraudes em licitação, desvio de dinheiro público e corrupção passiva

O ex-prefeito de Tangará, Euclides Cruz, foi condenado pela prática dos crimes de associação criminosa, fraudes à licitação, desvio de dinheiro público e corrupção passiva, os quais foram apurados pela Equipe do GAECO durante a operação denominada PATROLA. A sentença foi proferida no dia 11 de julho, pelo Juiz da Comarca de Tangará, Flávio Luís Dell’Antônio.

O esquema foi desmantelado em 2015, quando a Promotoria de Justiça de Tangará, com o auxílio do GAECO, desvendou uma estrutura organizada para superfaturar e desviar dinheiro público dos consertos de máquinas pesadas do município de Tangará. Dando continuidade às investigações, foram cumpridas na época ordens judiciais de prisão e busca e apreensão de inúmeros documentos. Estavam envolvidos prefeitos, ex-prefeitos, agentes públicos, empresários e seus empregados.

A partir de então, a operação, batizada de “Patrola”, por apontar irregularidades nas atividades que envolvem a venda de maquinários pesados para o poder público, foi sensivelmente ampliada em razão da complexidade e ramificação do esquema, passando a contar com o auxílio do Grupo Especial Anticorrupção – GEAC.

Segundo a decisão, por exercer, à época dos fatos, o cargo de Prefeito Municipal de Tangará, Cruz terá igualmente sua pena agravada, pois violou os deveres inerentes à função pública ocupada. Na qualidade de Prefeito, Chefe do Poder Executivo Municipal, tinha o dever de zelar pela probidade administrativa e privar pela redução de gastos de forma a melhor administrar o município.

Sendo assim, Cruz foi condenado a uma pena privativa de liberdade de 10 anos em regime inicialmente fechado e mais 03 anos de detenção inicialmente em regime semiaberto, e ao pagamento de multa.

Fonte: Jornalismo Tangará AM
Foto: Imagem ilustrativa | Google
Comentários
Carregando...