Cadastro positivo começa a incluir nomes de quem tem conta em dia

Bancos e instituições financeiras já começaram a enviar o histórico de clientes em qualquer operação de crédito

Esta segunda-feira (11) marcou uma etapa nova no processo longo para adoção de um cadastro nacional de bons pagadores no Brasil. O chamado cadastro positivo vai incluir automaticamente quem está com as contas em dia.

Bancos e instituições financeiras já começaram a enviar o histórico dos últimos 12 meses, de todos os clientes, em qualquer operação de crédito. Pode ser financiamento, uso do cheque especial, do cartão de crédito. Quatro empresas estão autorizadas pelo Banco Central a receber as informações. Serão as gestoras do cadastro positivo: Boa Vista Serviços, Quod Gestora de Inteligência de Crédito, Serasa Experian e SPC Brasil, da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

“Os varejistas que possuem crediário próprio ou cartão da loja também devem enviar os seus dados para o cadastro positivo. E isso deve acontecer ao longo dos próximos meses”, explicou Vilásio Pereira, gerente de cadastro positivo do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito).

Ao longo de 2020, outras listas de bons e maus pagadores serão incluídas no cadastro. De pessoas que não têm conta em banco, nem crédito em lojas, mas que são responsáveis por contas de consumo: água, luz, telefone. Um público ainda desconhecido pelas empresas que concedem crédito.

“Há estimativas do mercado que preveem que cerca de 22 milhões de pessoas que antes não tinham acesso ao crédito poderão ter acesso ao crédito com a inclusão dos seus dados no cadastro positivo”, afirmou Vilásio.

A estimativa é que o cadastro chegue a 150 milhões de pessoas físicas e jurídicas. Na fase iniciada nesta segunda, bancos e financeiras tem até o dia 19 para disponibilizar os dados. As empresas gestoras terão 30 dias para notificar, individualmente, todos os clientes. Depois, eles terão mais 30 dias para consultar seu histórico e, se não quiserem, recusar a inclusão no cadastro positivo. Com isso, o cadastro só poderá funcionar, para valer, a partir do dia 11 de janeiro.

“A única coisa que é disponibilizada para as empresas é a informação do comportamento de pagamento. Essa informação também não é disponibilizada aberta para o mercado, a não ser que ele autorize. Caso contrário, tudo isso é resumido em uma pontuação que só diz se ele é um bom ou mau pagador ou como ele tem se comportado ao longo do tempo”, destacou Leila Martins, diretora de Operações de Dados da Serasa.

Qual seria o desempenho de quem busca um mutirão de renegociação de dívidas, que acontece esta semana em São Paulo. Só nesta segunda (11), o Feirão Limpa Nome atendeu mil pessoas.

A pontuação do cadastro positivo vai de zero a mil pontos – a nota máxima dos bons pagadores.

Fonte: G1
Foto: Imagem ilustrativa | Google
Comentários
Carregando...