Corpo de Bombeiros estuda aumento do período de monitoramento nas praias

SC tem mais de 30 mortes por afogamento em pouco mais de um mês

O trabalho com a prevenção, para evitar os afogamentos, é o foco do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina (CBMSC). Por isso, a corporação realiza um estudo em relação ao aumento do período de monitoramento com guarda-vidas nas praias catarinenses.

Neste estudo, realizado pelo subcomando do CBMSC e a 1ª Região de Bombeiros Militar, responsável pelo Litoral, serão apontados os custos de operação, os riscos das praias, além dos dados coletados durante a operação verão, que indicam as quantidades de atendimentos e prevenções necessários. São análises criteriosas e que serão divididas em três características:

– praias que possuem necessidade de atuação o ano inteiro;
– praias que possuem necessidade de extensão do período de monitoramento – antecipação e finalização;
– praias que possuem necessidade de monitoramento em épocas pontuais, como feriados, por exemplo.

Algumas praias catarinenses exigem atenção em períodos além da temporada, porém nenhuma medida será adotada imediatamente. Neste momento, estão sendo realizados os levantamentos necessários, além da revisão dos materiais de instruções da coordenadoria de salvamento aquático.

 

 

SC tem mais de 30 mortes por afogamento em pouco mais de um mês

 

Entre 12 de dezembro de 2019 e domingo (19), Santa Catarina teve 20 mortes por afogamento em água doce e 11 no mar. Os números foram divulgados pelo Corpo de Bombeiros nesta terça-feira (21). Também houve três mortes por afogamento em locais privados.

Os 20 casos em água doce ocorreram em áreas em que não há guarda-vidas. No caso das mortes no mar, duas ocorreram em regiões com guarda-vidas e nove em áreas descobertas por esses profissionais. No mesmo período da temporada passada, houve 19 mortes por afogamento em água doce, 12 no mar e nenhuma em área privativa.

Ao todo, no período informado, os bombeiros fizeram 1.561 salvamentos, atenderam 42.392 pessoas feridas por águas-vivas e encontraram 1.903 crianças perdidas.

Na comparação com o mesmo período da temporada passada, foram encontradas 1.998 crianças perdidas, feitos 1.340 salvamentos e 32.044 atendimentos de pessoas feridas com águas-vidas.

Bombeiros dão orientações para evitar afogamentos

Fonte: Assessoria de Imprensa | G1
Foto: Secom