AMARP volta para o nível Grave na matriz de risco do Governo do Estado

Desde o dia 15 de setembro, Santa Catarina não apresentava regiões em vermelho, situação da Grande Florianópolis, que abrange 22 municípios

Nessa quarta-feira (04), o Governo do Estado encaminhou o informativo atualizado da Matriz de Risco com os dados que mostram que a Associação dos municípios do Alto Vale do Rio do Peixe – AMARP, saiu do nível “Alto”, (amarelo) entrou no nível “Grave” (laranja).

Desde o dia 15 de setembro, Santa Catarina não apresentava regiões em vermelho. A Grande Florianópolis abrange 22 municípios e a nova classificação afeta, aproximadamente, 1 milhão e 200 mil pessoas.

Além da reclassificação da Grande Florianópolis, outras onze regiões encontram-se em estado grave (cor laranja) e quatro em alto (cor amarela).

As regiões Alto Vale do Rio do Peixe, Planalto Norte, Médio Vale do Itajaí, Nordeste e Xanxerê tiveram o risco aumentado, modificando de alto para grave. Seis regiões se mantiveram em nível grave: Extremo Oeste, Serra Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Foz do Rio Itajaí, Laguna e Extremo Sul).

A região Oeste fez o caminho inverso, tendo seu risco reduzido de grave para alto. Outras três regiões apresentam nível alto: Alto Uruguai Catarinense, Meio-oeste e Carbonífera. Não há regiões em nível moderado (azul).

No quesito monitoramento, a maioria das regiões encontra-se em nível grave, demonstrando que há necessidade de aprimorar a investigação de contatos de casos e vigilância ativa, por meio de qualificação da realização do inquérito de síndrome gripal na comunidade.

Os prefeitos da AMARP se reúnem em reunião virtual na tarde de quinta-feira (05), para discutir a entrada da região novamente no nível greve (laranja), bem como adotar medidas de enfrentamento e prevenção a Covid-19.

 

Fonte: Assessoria AMARP
Foto: Divulgação