Alesc não terá recesso em julho para agilizar Reforma da Previdência e reajustes salariais

A expectativa é retomar as sessões 100% presenciais antes do fim do ano

Pelo segundo ano consecutivo a Alesc suspendeu o recesso de julho, que valeria a partir deste domingo (18) até o fim do mês. Pesaram na decisão a situação da pandemia e as pautas importantes que o Legislativo tem para analisar nas próximas semanas, como a Reforma da Previdência e os reajustes para Segurança e Educação. São assuntos em que o governo tem pressa, e para os quais a Assembleia prometeu celeridade. 

O presidente da Alesc, deputado Mauro de Nadal (MDB), disse que a possibilidade de que os parlamentares participem remotamente das sessões, devido à pandemia, tornaria injustificável a parada no meio do ano.

– Não tem como justificar para a sociedade, se agora temos sessões virtuais e podemos votar remotamente – avaliou.

Ele ressaltou, no entanto, que se trata de um período excepcional. Por enquanto, o recesso parlamentar de julho está estabelecido pela Constituição Estadual – para suspendê-lo de vez, seria necessária uma alteração constitucional. No entanto, Nadal não descarta essa hipótese após a pandemia.

A expectativa do presidente é retomar as sessões 100% presenciais antes do fim do ano. O atual decreto estadual de calamidade pública é válido até outubro.

 

Fonte: DC
Foto: Foto: Rodolfo Espíndola, Alesc